Pages

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Amigo das cinco da manhã


"Para mim, atualmente, companheirismo e lealdade são meio sinônimos de felicidade. Meus amigos são muito fortes e muito profundos, são amigos de fé, para quem eu posso telefonar às cinco da manhã e dizer: Olha, estou querendo me matar, o que eu faço? (...) Eles me dão liberdade para isso, não tenho relações rápidas, quer dizer, tenho porque todo mundo tem, mas procuro sempre aprofundar. E isso é felicidade, você poder contar com os outros, se sentir cuidado, protegido. Dei esse exemplo meio barra pesada de me matar... Esquece, posso ligar para ver o nascer do sol no Ibirapuera às cinco da manhã. Já fiz isso, inclusive."

Caio Fernando Abreu

2 comentários:

  1. não só as 5 da manhã, mas a qualquer hora. Pode contar sempre (y

    ResponderExcluir